domingo, 22 de abril de 2018

Entre a terra e o céu


Recordo já ter por aqui referido que não sou apologista dos dias dedicados a isto e aquilo outro, a exemplos de: "dia da Mulher", "dia da Árvore", "dia da Terra", etc., etc., até porque estes últimos derivam por (quase) invariável norma da forma como nós humanos, muito mal, tratamos o elemento ao qual dedicamos um determinado dia em concreto.

Enquanto ao invés ou pelo menos à margem do dia disto e daquilo outro, eu pessoalmente prefiro crer de mim para mim mesmo que, tal como Vital e Universalmente, de facto todos os dias são dias de tudo e de todos.

Mas de entre o que, apesar de e/ou até por tudo, não deixando de existir esta compartimentada/discriminatória tendência humana de dedicar apenas um dia a isto ou aquilo outro, o que no presente dia (22/04) corresponde ao dito dia do próprio planeta Terra, está-me a ser dado partilhar a singela foto acima, com celestes tonalidades entre o quente e o frio, tal como as captei na natureza atmosférica e que eventualmente a nível galáctico só será visível neste mesmo planeta, ao que no caso se associa o parcial intermédio ramado duma árvore como sinónimo de directa ligação à própria Terra, que, não raro, humanamente tão mal tratamos!

VB

24 comentários:

  1. Muito bem captada esta foto entre o céu e a terra.
    Também não sou apologista de um dia disto e daquilo, mas há alguns que serão precisos para despertar consciências.

    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim! De facto dessa perspectiva concordo, até por isso referi que "apesar de e/ou até por tudo", dalgum modo como sustentação para eu mesmo fazer uma partilha aludindo ao "Dia da Terra", fazendo respectiva e conclusiva chamada de atenção para o, não raro, mau trato que nós humanos dispensamos à própria terra Mãe!

      Obrigado

      Beijos

      Eliminar
  2. A minha opinião é igual!
    A foto está espetacular!
    bj

    ResponderEliminar
  3. Belíssima foto para a efeméride e não só. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado à Luísa, é uma honra um seu elogio fotográfico.

      Abraço

      Eliminar
  4. Muy buena las tonalidades conseguidas en un genial contraluz.

    Besos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gracias por la visita y por las simpáticas palabras de quien entende de fotografia.

      Besos

      Eliminar
  5. Foto invulgarmente bela! Bela homenagem.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado à Ana, muito ma apraz e honra que goste.

      Beijo

      Eliminar
  6. Este céu através dos altos ramos
    Dá-nos ideia do nosso trajeto
    Na nave Terra como um objeto
    Extemporâneo, onde nós estamos.

    Amemos, pois, a Terra como amos
    Que amam suas casas por seleto
    Sentimento de amor doce e dileto
    Ao mais supremo ente que amamos.

    Só um planeta para nós existe!
    E é de ficar-se realmente triste
    Ante o desprezo que se dá a Terra.

    Vamos cuidar do meio, do ambiente!
    Dando aos vindouros o lugar descente,
    Aonde a vida vem e em si se encerra!

    Belíssima postagem, grande amigo Victor! Sim todos os dias são dias de meditar sobre nosso belo planeta que tomamos emprestado de nosso netos e vindouros, como diz o provérbio indiano. Parabéns, amigo! Grande abraço. Laerte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado eu ao estimado e muito honroso amigo Laerte! De quem de resto e no caso subscrevo as palavras, cujo lamentável então é o facto de, como conheço eu, pessoas que tendo filhos e em algum caso até netos, no entanto pouco ou nada respeitam a casa comum e meramente "emprestada pelas gerações vindouras" _ no fundo parece que significativa parte de nós anda a "viver" como se não houvesse amanhã, no limite consumindo e/ou mesmo destruindo (quase) tudo à sua passagem!

      Tenhamos então fé de que a própria natureza da Vida reencontre o seu próprio equilíbrio, incluindo ou excluindo a comparticipada acção humana, mas já agora com desejável inclusão do melhor desta última! :)

      Abraço

      Eliminar
  7. Esses dias com dedicatória muitas vezes são necessários para obrigar as pessoas a reflectir no que andam a fazer.
    Neste caso o que andam a fazer ao nosso Planeta.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, claro dessa perspectiva concordo, de resto e como refiro no texto acima: esses dedicados dias derivam precisa e humanamente das respectivas más práticas humanas face ao/s correspondente/s elemento/s da dedicatória humana dum determinado dia. No fundo é um paradoxo humano, que espero leve conclusivamente à melhor das coerências humanas, que no caso coincidiria com respeitar tudo e todos o tempo todo, pelo e para com o Vital/Universalmente melhor inerente, por si só inerente a estar-se vivo e neste planeta, com tudo o que isso implica!

      Abraço, excelente semana

      Eliminar
  8. Um foto cheia de beleza. Adorei de verdade :))

    Hoje:- Meus olhos vagueiam em teus lábios
    .
    Bjos
    Votos de excelente Segunda -Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, minha honrosa amiga, Larissa Santos! Apraz-me que tenha gostado da beleza natural contida, que salvo a imodéstia eu soube captar minimamente!

      Votos de excelente Segunda-feira e restante semana

      Beijo

      VB

      Eliminar
  9. e já somos dois.

    muito grata pela sua vista e palavras elogiosas deixadas no meu blogue.

    beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...há casos em que, com mais ou menos pormenor, é fácil coincidir modo geral.

      de nada, obrigado eu pela honrosa amizade da Céu!

      Beijo

      Eliminar
  10. VB
    também não gosto muito dos dias disto e daquilo, mas enfim...
    a foto está fantástica e o titulo também.
    um trabalho magnifico.
    continuaçao de boa semana.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...circunstancialmente até são compreensíveis, os ditos dias disto e daquilo, mas em regra por tristes circunstâncias!...
      Prazerosamente grato pela apreciação fotográfica.
      Excelente final de semana para a Piedade AS
      Beijos

      Eliminar
  11. Oi Victor passando e vendo as novidades, tinha
    tanta coisa a falar sobre esse teu post mas prefiro dizer:
    Que bom que alguém escreveu sobre isso.
    Só para deixar registrado... "A vida secreta das árvores" de P. Wohlleben abrilhantando esse teu post.
    Bom final de mês de abril.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, há assuntos que têm tanto o que se lhes diga!...
      Fico feliz por lhe agradar que eu tenha escrito ao respeito.
      Gratidão pela referência... "A vida secreta das árvores" abrilhantando este meu post.
      Excelente final se semana e de mês, também para A Casa Madeira
      Abraço

      Eliminar
  12. Entre a terra e o céu... muita coisa escapa ao nosso entendimento...
    Mas se este planeta foi obra do acaso... foi um acaso... quase perfeito, à excepção da existência do homem... que quase tudo parece fazer para tentar acabar consigo mesmo... e com o planeta onde vive...
    Também raramente assinalo no meu canto, esses dias especiais... que me fazem muita confusão!...
    Mas... se um dia destes, teria de ser assinalado... o da Terra... tem mesmo toda a pertinência!...
    A imagem está fantástica! Muito bela e harmoniosa! Uma imagem, que não poderia pois, constituir melhor forma de assinalar este dia...
    Um contraluz perfeito, e bem ao meu gosto!...
    Beijinho! Continuação de uma óptima semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entre a terra e o céu... escapa _quase_ tudo ao nosso entendimento...
      De facto entre prós e contras, a simples existência da vida tal como a conhecemos na sua interdependência de múltiplos factores é algo senão perfeito, pelo menos é encantadoramente Mágico... de entre o que a nossa, por si só multifacetada, existência humana, não deixando de estar no topo da global Magia que é a vida terrena, no entanto a partir do topo da vida terrena a humanidade tanto funciona para o bem quanto para o mal e infelizmente muitas da vezes é mais para mal que para o bem... sendo que a partir do topo a humanidade tem o poder de por si só destruir a toda a restante vida global, por inerência incluindo-se a si mesma humanidade... de resto pelo que muitas vezes vejo e ouço, estou cada vez mais em crer que nós humanos não nos suicidamos logo à partida e directamente por tão só sermos conscientes da nossa mortalidade, no entanto parece que tendemos a suicidar-mo-nos indirectamente por via de destruirmos o próprio Planeta, inclusive por via de consumir-mos desenfreada/irracionalmente todos os recursos naturais, porque alegadamente para muitas absurdas mentes humanas "tudo o que levamos deste vida é o cá consumimos" _ como se levasse-mos o que quer que fosse para onde quer que fosse, em especial por mera via do consumo materialista!...
      Prazerozamente grato por a Ana gostar da imagem e por a achar adequada ao pertinente "Dia da Terra"...
      Excelente final de semana e de mês
      Beijo
      VB

      Eliminar