domingo, 5 de maio de 2019

Guadiana...




...até onde chega a maré!


Letras


Corre nobre Guadiana

espelho de moura formosa
vai ficando uma ribeira
pela terra sequiosa
Nunca pensei assistir

à tua dor na charneca
és como um Deus a cair
Ante a barbárie da seca
Corre corre Guadiana

pela terra alentejana
pudesse eu dar-te esta canção
a vertigem dos caudais
dar-te o farto aluvião
das águas primordiais
E ver-te com dignidade

a correr entre os campos
como o rio que tem um caminho
desde o começo dos tempos
Ouve as pedras do teu leito

a pedir que não as deixes
ouve os barcos parados
ouve os homens ouve os peixes
Corre corre Guadiana

por essa terra raiana
que eu faço um apelo aos lagos
convoco nos céus as fontes
teço três meadas de água
dos fios perdidos nos montes
Compositores: Rui Veloso

11 comentários:

  1. Belíssimas imagens.
    Bonito tema musical, que há muito não ouvia.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderEliminar
  2. Vitor,que maravilha vi por aqui! Simplesmente ADOREI! abraços, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. Portugal tem paisagens absolutamente fantásticas!!!
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  4. Adoro as margens do Guadiana!
    Gostei de conhecer o som!!! Belos olhares e boa semana!

    ResponderEliminar
  5. No ha encontrado las nubes mejor espejo donde reflejarse.

    Besos

    ResponderEliminar
  6. "Corre corre, Guadiana"!
    Corre como corre um rio,
    Em curva a cada desvio,
    Mas em marcha soberana.

    Corre à demanda tirana:
    Morrer no mar ao arrepio
    Do sentimento tão frio
    Contrário à razão humana!

    Se o teu destino é o mar,
    Guadiana, de vagar
    Vagueie em tua corrente.

    Deixe o sol te iluminar
    Sinta a brisa, sinta o ar
    Sinta o que o humano sente!

    Grande abraço! Laerte.

    ResponderEliminar
  7. Duas imagens muito belas, do Guadiana! Adorei ambas, mas a primeira conquistou-me por completo... com aquele caminho de céu, traçado nas águas, por onde segue o barquito! Maravilhosos reflexos em ambas... e vim descobrir um tema de Veloso, que não me lembro de ter ouvido antes...
    Fantástica publicação, Victor, que me ofereceu belas panorâmicas... fotográficas e musicais...
    Beijinho! Boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  8. As fotografias são lindas, porque reproduzem imagens que falam por si. A água funciona como a alma da terra, e Carlos T consegue comunicar-nos os seus receios e anseios neste ode à vida ameaçada do Guadiana, sem dramas, mas com a pertinência e a pertinácia necessárias face à dormência, à omissão e às diatribes do Homem perante a Natureza; o seu apelo é sentido e impõe-se.
    A música, da autoria de Rui Veloso, assemelha-se ao fluir lento e melodioso das águas de um rio que teme deixar de ser, caso sequem todas as fontes da esperança; ou se diluam os lagos do sonho.
    Façamos votos para que se abram as albufeiras dos céus.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  9. Hermoso Guadiana en la voz de tus palabras, hoy hay melodia en tu voz.

    Un placer leerte y disfrutar de las imágenes.

    Besos enormes y feliz dia.

    ResponderEliminar
  10. Um muito grato obrigado pelas visita e pelos reverenciáveis comentário:

    _ Elvira Carvalho - subscrevo-a, ao menos com relação ao belo tema do Veloso e ao conteúdo fotográfico que ajuda qualquer pretenso captador de imagens, como eu! Abraço

    _ chica - é sempre um grato prazer suscitar reacções como a da chica, felicidades sempre. Abraço

    _ Pedro Coimbra - sem dúvida, um País cheio de substancia, também, paisagística. Abraço

    _ Gracinha - por norma as margens dos cursos de água naturais são encantadoras, no caso o Guadiana é um belo exemplo! Aqui bem condimentado pelo Veloso. Beijo

    _ Antónia - assim é minha amiga, a união da natureza mais etérea com natureza mais superficialmente tangível, pela via reflexiva! Beijos

    _ Laerte - especial reverência pela impagável dedicatória poética, que fala por si só, como tal dispensando mais considerações da minha prosaica parte. Abraço

    _ Ana Freire - se muito me apraz as boas sensações que as fotos suscitaram na Ana, tanto ou ainda mais me apraz ter-lhe dado a conhecer o belo e dalgum modo eloquente tema poético-musical da fantástica dupla Tê-Veloso! São-me sempre muito consideráveis as palavras da Ana. Beijo

    _ Humberto Maranduva - meu mais recente e mas em absoluto não menos estimado amigo aqui desta dimensão virtual, que salva a presunção no que às minhas fotos se refere, diria que as suas palavras são do mais completo de entre objectiva lucidez e subjectivo onirismo que por aqui pude ler no que a esta minha partilha fotográfico-musical se refere. No caso especial reverência, por tudo isso! Abraço

    _ Maria Dorada - grato a ti pelas tuas sempre simpáticas e amigáveis palavras para com esta minha humilde presença fotográfica e por vezes também escrita aqui, nesta dimensão virtual. Pois, como já sabes, o meu prazer de te ler será no mínimo reciproco, cara ao prazer de tu me leres a mim _ até porque, como creio terás entendido, o belo poema "Guadiana" acima não é em absoluto de minha lavra! Sempre um particular prazer ter-te aqui! Beijos

    ... seja que a amigável presença individual e conjuntural de cada um/a e toda/os vós, muito me apraz e honra!

    Bem hajam

    VB

    ResponderEliminar
  11. VB

    que imagens belissimas você fez.

    adorei!

    beijinhos

    :)

    ResponderEliminar